Segunda-feira, 11 de Março de 2013

O futuro?‏

Alemã vive sem dinheiro há 17 anos
"Para alguns sou uma provocação, para outros sou uma resposta", diz Heidemarie
 

Heidemarie Schwermer vivia confortavelmente. Tinha dois carros estacionados à porta. Um emprego como professora, outro como psicóloga. Dois filhos criados. A vida perfeita para muitos. Mas não para esta alemã: concluiu que "vivia dominada pelo ter e não pelo ser". E renunciou a tudo.

Aos 53 anos, vendeu os carros e o apartamento e encerrou as contas bancárias. O dinheiro foi distribuído pelos filhos e por aqueles que considerou necessitados. Deu os móveis, os objetos pessoais e as roupas aos amigos e aos vizinhos. Desfez-se de bens materiais.

Em 17 anos de vida sem casa, nem emprego, nem dinheiro, não teve o que comer durante um dia e meio e dormiu algumas noites no Centro Cultural Wissenschaftsladen de Dortmund, que nunca lhe fechou as portas.

A experiência tem, em suma, corrido bem, sustentada pela filosofia de "troca por troca". Heidemarie troca roupas, noites, refeições em casa de amigos por serviços como tomar conta dos filhos, cozinhar ou passear os cães. Ou, simplesmente, usufrui da generosidade alheia. Já aconteceu ganhar bilhetes para a ópera por ter atuado como terapeuta num conflito familiar.

O modo de vida é admirado pelos filhos, amigos e pelos que questionam a economia atual, mas não escapou das críticas dos que consideram a sua escolha "conveniente". A história foi dissecada em dezenas de programas de televisão e foi já transformada num filme, que suscitou particular interesse nos Estados Unidos da América, na Grécia, em Itália e Espanha.


 

 


Quem sabe se o futuro não passa por esta forma de estar na vida?

Com as alterações monetárias não me admirava nada que este fosse o caminho para o futuro sem que milhares de espertos vivessem a custam de milhões de burros que dão o seu dinheiro para estes especular e viver!

publicado por o_antonio_fala às 18:21
link | comentar | favorito

Dia Internacional das Vítimas do Terrorismo.‏

Terrorismo é o uso de violência, física ou psicológica, através de ataques localizados a elementos ou instalações de um governoou da população governada, de modo a incutir medoterror, e assim obter efeitos psicológicos que ultrapassem largamente o círculo das vítimas, incluindo, antes, o resto da população do território. É utilizado por uma grande gama de instituições como forma de alcançar seus objetivos, como organizações políticas deesquerda e direita, grupos separatistas e até por governos no poder.

guerra de guerrilha é frequentemente associada ao terrorismo uma vez que dispõe de um pequeno contingente para atingir grandes fins, fazendo uso cirúrgico da violência para combater forças maiores. Seu alvo, no entanto, são forças igualmente armadas procurando sempre minimizar os danos a civis para conseguir o apoio destes. Assim sendo, é tanto mais uma táctica militar que uma forma de terrorismo.

Segundo um estudo do Exército dos Estados Unidos de 1988 existe uma centena de definições da palavra terrorismo.

A inexistência de um conceito amplamente aceito pela comunidade internacional e pelos estudiosos do tema significa que o terrorismo não é um fenômeno entendido da mesma forma, por todos os indivíduos, independente do contexto histórico, geográfico, social e político. Segundo Walter Laqueur

Nenhuma definição pode abarcar todas as variedades de terrorismo que existiram ao longo da história.

Definição

Conforme definição do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, terrorismo é um tipo muito específico de violência, bastante subtil, apesar do termo ser usado para definir outros tipos de violência considerados inaceitáveis.

Após a Segunda Guerra Mundial, sobretudo no fim da década de 1960 e durante a década de 1970, o terrorismo era visto como parte de um contexto revolucionário. O uso do termo foi expandido para incluirgrupos nacionalistas e étnico-separatistas fora do contexto colonial ou neocolonial, assim como organizações radicais e inteiramente motivadas por ideologia. A comunidade internacional – inclusive na esfera das Nações Unidas – considerava politicamente legítimas as lutas pela autodeterminação dos povos, legitimando-se portanto o uso da violência política por esses movimentos.

Ações terroristas típicas incluem assassinatossequestros, explosões de bombas, matanças indiscriminadas,raptosaparelhamentolinchamentos. É uma estratégia política e não militar, e é levada a cabo por grupos que não são fortes o suficiente para efectuar ataques abertos, sendo utilizada em época de paz, conflito e guerra. A intenção mais comum do terrorismo é causar um estado de medo na população ou em setores específicos da população, com o objectivo de provocar num inimigo (ou seu governo) uma mudança de comportamento.

Podemos, assim, dar as seguintes definições sucintas de terrorismo:

Actos terroristas clássicos incluem os ataques de 11 de setembro de 2001 quando foram destruídas as torres gêmeas em Nova Iorque, assim como ataques a bomba na Irlanda do NorteOklahomaLíbano e Palestina.

 Visit of the Ku-Klux (desenho de 1872). Neste mesmo ano, a Ku Klux Klan foi reconhecida como uma entidade terrorista.
Visit of the Ku-Klux (desenho de 1872). Neste mesmo ano, a Ku Klux Klan foi reconhecida como uma entidade terrorista.
Gavrilo Princip integrante da organização Mão Negra e responsável pelo assassinato de Sarajevo, crime que motivou o início da I Guerra Mundial.
Gavrilo Princip integrante da organização Mão Negra e responsável pelo assassinato de Sarajevo, crime que motivou o início da I Guerra Mundial.
Carro-bomba colocado pelo ETA em Pamplona em 2008.
Carro-bomba colocado peloETA em Pamplona em 2008.

[editar]História

O terrorismo tem sido registrado na História pelo menos desde a Grécia Antiga. Antes do século XIX os terroristas poupavam os inocentes não envolvidos no conflito. Por exemplo, na Rússia quando os radicais tentaram depor o Czar Alexandre II, cancelaram várias ações para evitar ferir mulheres, crianças, idosos ou outros inocentes . No entanto, nos últimos dois séculos, enquanto os estados foram ficando cada vez mais burocratizados, a morte de apenas um líder político não causava as mudanças políticas desejadas, de modo que os terroristas passaram a usar métodos mais indiretos de causar ansiedade e perda de confiança no governo.

Em 1972, a temática do terrorismo foi incluída pela primeira vez nos debates da Assembleia Geral das Nações Unidas. Os debates consagraram uma clivagem: de um lado, o bloco ocidental advogava a repressão (enfoque jurídico); de outro, o Movimento dos Não-Alinhados e os Estados comunistas defendiam a identificação e a eliminação de suas causas (enfoque político).

Em 1985, houve a primeira condenação do terrorismo por consenso: resolução 40/61 da Assembleia Geral das Nações Unidas. O enfoque jurídico passou a prevalecer. O terrorismo deixou de ser legitimado por motivações políticas quaisquer.

Em 1994, a resolução 49/60 repudia o terrorismo e convoca os Estados à cooperação internacional. As causas políticas não são sequer mencionadas, um abandono total do enfoque político dos anos 1970.

Na década de 1990, o Conselho de Segurança das Nações Unidas adota a prática de apenas condenar o terrorismo em casos concretos, a exemplo da resolução 1054 contra o Sudão ou da resolução 883 contra aLíbia.

Onze de Setembro levou a uma grande transformação no tratamento internacional do terrorismo, que tendeu a institucionalizar-se em um regime internacional. O Conselho de Segurança, por meio da resolução 1368 de2001, admitiu a aplicação de medidas de força individual ou coletiva, em nome da legítima defesa, contra os responsáveis pelos atentados. Como estes não são nomeados, houve grande celeuma jurídica e política em torno das medidas. A invasão do Afeganistão foi lastreada nessa resolução.

Ainda em 2001, a resolução 1373 criou o Comitê de Antiterrorismo (CAT). Os Estados são convocados a colaborarem a prestar informações acerca de medidas antiterroristas (ver: Antiterrorismo e Guerra ao Terror).

Em julho de 2004, o Paraguai foi objeto de ressalvas no CAT e acusado de não-cooperação. A política externa brasileira optou por apoiar o esclarecimento de dúvidas de modo a dirimir conflitos em sua fronteira imediata.

Brasil é um país engajado no regime antiterrorista (ver: livro Negro do Terrorismo no BrasilBrasil: Nunca Mais e Ternuma). Ratificou as principais convenções sobre o tema e colabora ativamente em vários cenários: na ONU, na OEA e no Mercosul.

O terrorismo contemporâneo é caracterizado pela descentralização de suas atividades.

O terrorismo depende fortemente da surpresa e é frequente que ocorra quando e onde é menos esperado. Ataques terroristas podem desencadear transições súbitas para conflito ou guerra. Não é raro que depois de um ataque terrorista vários grupos não relacionados reivindiquem a responsabilidade pela ação; isto pode ser visto como "publicidade grátis" para os objetivos ou planos da organização. Devido à sua natureza anônima e, freqüentemente, auto-sacrificial, não é incomum que as razões para o atentado permaneçam desconhecidas por um período considerável de tempo.

Ruínas do WTC (13/09/2001).
Ruínas do WTC
(13/09/2001).
Atentados de 22 de julho de 2011 na Noruega
Nunca a força dará a razão que as pessoas procuram, pois se procuram a força e o assassinato para terem razão é porque nunca a tiveram nem nunca a procuraram!!
publicado por o_antonio_fala às 18:21
link | comentar | favorito

Mais, e mais histórias!!

 

Eventos históricos

Nascimentos

Mortes

publicado por o_antonio_fala às 17:49
link | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 3 seguidores

.pesquisar

.Março 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
16
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Sempre que me vejo!!‏

. Até os bichinhos gostam!!...

. Mais, e mais histórias!!

. Poemas e musica na vida!!...

. Mais, e mais histórias!!

. Teste precioso!‏

. Mais, e mais histórias!!

. Prémio da má sorte!!‏

. Dia Mundial do Consumidor...

. Mais, e mais histórias!!

.arquivos

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

blogs SAPO

.subscrever feeds